Fernando de Noronha

Há um ano estou devendo um post pra falar deste destino incrível que é a ilha de Fernando de Noronha. Estive lá em junho de 2017 com meu pai e ficamos uma semana, tempo suficiente para aproveitar as praias e querer, um dia, retornar ao paraíso.

Para efeitos de localização, a ilha fica há 360 km da costa do Rio Grande do Norte, no Oceano Atlântico, é um arquipélago composto por 21 ilhas de origem vulcânica, que pertence ao estado de Pernambuco. Turistas desembarcam pelo pequeno aeroporto, que atende as companhias Azul e Gol.

Ficamos numa hospedaria domiciliar chamada “Pousada do Carlinhos”, que nada mais era a residência da família do Carlinhos. Haviam dois ou três suítes destinadas aos turistas e os outros cômodos da casa serviam à família, que era composta pelo casal e seus filhos pequenos. Numa pequena sala da frente, era servido o café da manhã, simples mas que nos atendeu muito bem. Sempre tinha suco natural e pão francês fresquinho, um bolinho simples, algumas frutas, frios, café, leite, achocolatado.

Nossa suíte era pequena, com duas camas de solteiro, TV à cabo, wifi, ar condicionado split, frigobar e um pequeno armário. Todos os dias eram trocadas as roupas de cama e banho. Bem próximo tinha ponto de ônibus, um mercadinho, posto de saúde e academia pública ao ar livre. A Vila dos Remédios ficava há 900 metros.

Compramos alguns passeios antecipadamente com o receptivo Atalaia Noronha, como o ilha-tour, mergulho de cilindro, passeio de barco no entardecer e prancha submarina. No ilha-tour, passeio que dura o dia inteiro, a bordo de uma camionete, o guia te leva pra conhecer as principais praias da ilha, com paradas para banho, mergulho, fotos e almoço. É bacana fazer este passeio no primeiro dia, assim você tem um panorama geral e depois pode escolher as praias que mais curtiu e voltar depois.

A praia que mais gostamos foi a Praia do Porto, que não tem ondas e é ideal para praticar snorkeling pois é nesta praia que tem um navio naufragado. Você tem possibilidade de ver tartarugas marinhas, muitos peixes e se tiver sorte, até tubarões. Falando em tartarugas, a ilha possui também o Projeto Tamar, onde determinados dias da semana você pode participar com os biólogos da captura das tartarugas e pesagem delas na praia. E é grátis!

Praia do Porto - Noronha/PE

Na Praia de Sueste, pudemos avistar filhotes de tubarão na beira da água e também mergulhar ao lado de tartarugas. É uma praia praticamente vazia, onde é obrigatório o uso de colete salva-vidas e proibido tocar os pés nos corais.

A Praia do Sancho, eleita a mais bonita do mundo por leitores do TripAdvisor, é ótima para praticar snorkeling também. Em volta das pedras, há cardumes de peixes de todas as cores. Você pode chegar de barco ou a pé, porém se optar por esta opção, vai precisar descer por uma escada de metal, na fenda de uma rocha, num espaço bem estreito.

Praia do Sancho - Noronha/PE

Na trilha para a Praia do Sancho é possível avistar o Morro Dos Dois Irmãos, o cartão-postal da ilha. Praia da Conceição, Cacimba do Padre e Boldró boa para surfar. Entre a Conceição e a Praia do Cachorro há um barzinho bem concorrido nos finais de tarde. Baía dos Porcos ideal para prática do deboísmo, assim como a maioria das praias de Noronha.

Morro Dos Dois Irmãos - Noronha/PE

Gastronomia, a melhor parte depois do combo mar + água fresca. Só tenha em mente que, assim como a hospedagem na ilha não é barata, jantares e almoços também não são. Mas se você está em férias, aproveite. São inúmeras opções e cada noite escolhemos um restaurante diferente. São eles: Mergulhão Noronha (Praia do Porto, com uma vista incrível!), Restaurante Varanda (o mais concorrido), Tapioca da Babalú (próximo do Cachorro, tapiocas e açaí), Bar Duda Rei (pé na areia na Praia da Conceição), Empório São Miguel (buffet por kilo no almoço).

Aí você pergunta, e o tal do Restaurante do Zé Maria? O mais famoso da ilha, frequentado pelos artistas da Rede Globo e tals. Não fui e não me arrependo. Duas vezes por semana acontece lá o Festival Gastronômico do Zé Maria, um verdadeiro banquete de frutos do mar que custa os dois olhos da cara e talvez meio rim. Troque a fama do Zé por um delicioso jantar no Restaurante Varanda. Fiz isso por recomendação do próprio guia que nos atendeu no receptivo e ficamos super satisfeitos.

A locomoção na ilha pode ser feita através dos micro-ônibus do transporte público, táxi (valores tabelados) ou por bugues que você aluga. A internet é instável e às vezes demora bastante para carregar fotos. Há mercados pequenos que oferecem o básico para o turista e por um preço exorbitante. Não espere comprar uma cerveja long neck por menos de R$ 15,00 cada.

Antes de desembarcar na ilha é necessário pagar uma taxa de preservação ambiental, que custa R$ 70,66 por dia/por pessoa. A guia para pagamento pode ser baixada aqui. Segundo os moradores locais, este valor nunca retorna em benfeitorias na ilha, o que pode ser comprovada através da precária infra-estrutura das vilas e serviços ofertados à população.

Mais informações aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s