Tags

, , , , , , , , , ,

Dar a volta na ilha de mula. Quem é o doido que teve essa ideia? Passar horas torrando no sol, no lombo de uma mula? Você pode alugá-las em vários locais na ilha, e tem opção para 2 ou mais pessoas em uma mesma mula. E nem precisa ficar no sol pois elas tem uma cobertura. Interessante, não? O aluguel da mula para 2 pessoas custa em torno de COP 130.000,00 (R$ 191,00 na cotação de março/2017) válido para 1 dia inteiro (devolução às 18:00h). Vale a pena pesquisar e dar uma chorada no valor do aluguel! A oferta é muito grande.

Bem, eis aqui a mula que aluguei em San Andrés!

Mula

Mula

Elas são movidas à gasolina e são mais rápidas em comparação aos carrinhos de golf, que também estão disponíveis para locação com custo mais baixo. Não perguntei o valor do aluguel pois estava interessada mesmo era na mula. risos.

Para alugar não é preciso nem carteira de habilitação. Só pediram o nome do  hotel que estava hospedada e o número do quarto. Nem documento pediram. Existe um contrato simples (que diz por exemplo que o custo será todo seu em caso de acidente) e o pagamento é feito no momento da locação. O locador te ensina os comandos básicos e voilá, tacale pau nesta mula, Marcos!

A ilha tem uma rodovia (de asfalto mesmo!) que a circula, margeando o mar. Não precisa de mapa. É só você não sair da beira-mar. Saí por volta das 11h da manhã e pontualmente às 18h estava estacionando a mula pra devolver. Deu tempo de sobra pra fazer os 30 km.

Mapa de San Andrés

Comecei parando na praia do centro, por alguns minutos, só para me localizar e ter certeza que o mar que vi no Google era o mesmo que estava lá, afinal eu havia chegado naquela madrugada e não tinha visto a água ainda.

Praia do centro e Ilha Johnny Cay

Praia do centro e Ilha Johnny Cay

Segunda parada: letreiro I LOVE SAN ANDRÉS que fica no calçadão bem na cabeceira do aeroporto. Ali dá pra tomar banho pois é vazio, só tem barquinhos atracados e algas, muitas algas secas, na areia. Se você for perto do meio-dia, dá pra se assustar com as turbinas bem acima da sua cabeça, pois é ali que os aviões decolam.

Letreiro

(Um parênteses aqui: li no jornal semanal da ilha que os deputados estavam preocupadíssimos com os milhões de pesos colombianos que foram gastos com o letreiro I LOVE SAN ANDRÉS em vez em usarem a grana para sanar outras necessidades da população. Isso pra você ter ideia do tipo de notícias que circulam por lá. Aliás, só li 2 notícias policiais que ocorreram naquela semana.)

Terceira parada: La Piscinita. É um poço de mergulho com milhares de peixes coloridos. Imprescindível sapatilha de neoprene com sola de borracha + snorkel. Há chalecos (coletes salva-vidas) para alugar por COP 5.000,00 (R$ 7,50 na cotação de março/2017). A descida e subida na água é feita por uma espécie de degraus encrustados num paredão de pedra. Tinha uma corda também para ajudar a subir. Você pode ficar quantas horas quiser pagando COP 2.000,00 (ou R$ 3,00). Tem uma tendinha que vende drinks ao som de Bob Marley. Aliás, o que mais toca na ilha são músicas jamaicanas e caribenhas em geral.

La Piscinita

Quarta parada: almoço em West View. Aqui comi o peixe mais saboroso de todos que experimentei na ilha. O prato era bem simples: arroz de coco (é raro arroz branco), salada, mandioca frita (quando não é mandioca, é patacones – banana) e peixe grelhado, temperado com alho e limão. Não esqueço daquele tempero! Ali em frente do restaurante tem outro ponto de mergulho com snorkel, além de toboágua e trampolim. Paga-se COP 4.000,00 (R$ 6,00) para entrar e você ganha 1 pedaço de pão velho para dar aos peixes.

Almoço típico

Quinta parada: Playa de San Luis. Foi somente uma parada fotográfica mesmo. Você pode deixar a mula estacionada com chave e tudo, em qualquer lugar, para tomar um banho de mar.

Playa de San Luis

Sexta parada: devolução da mula e uma engrupida de COP 20.000,00 (R$ 30,00) para encher o tanque. No contrato não havia nada sobre devolver com o tanque cheio. Tentei argumentar mas o meu portunhol não ajudou, então perdi 20 contos. Aqui fica um alerta pra você, futuro turista em San Andrés: fique esperto.

Esta volta na ilha é muito legal porque você sai do centro turístico que é o norte da ilha. As praias são quase intocáveis e há pouco movimento de turistas na região sul. O mar vai ficando azul escuro por conta das pedras. Venta bastante e é importante que você segure o chapéu ou boné quando estiver na mula.

Há alguns hotéis e pousadas na região sul e algumas escolas de mergulho. Restaurantes são poucos. Como citei, a região norte que é a mais habitada e movimentada. Na beira da estrada há muito lixo. Vi garrafas, latas, embalagens e até sofá e TV. É lamentável que a população tenha esse tipo de atitude, mas como escrevi no primeiro post, acredito que estes são os que não tem condições financeiras para arcar com a taxa do lixo, porém isso não é motivo para sair abandonando lixo em qualquer lugar.

Anúncios