Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Conheci a pacata cidade do interior do Mato Grosso do Sul, no ano de 1996. Naquela época, Bonito era desconhecido e nem sequer mencionavam a palavra turismo por lá. Não tinha a infra-estrutura de hoje, as coisas por lá eram muito precárias. Hotel nem ouvia-se falar. Eram pousadas muito pequenas que serviam os poucos viajantes que passavam pela estrada de terra. Os pontos turísticos estavam à deriva sem nenhum controle de visitação. Não havia cobrança de ingressos e podia acampar, fazer fogueira, levar plantas e alimentar animais. Tudo o que é proibido em áreas de conservação ambiental.

Os anos passaram, o ecoturismo cresceu, Bonito apareceu na mídia nacional e internacional. A cidade ganhou hotéis, restaurantes, lojas, redes de fast-food, farmácias, cafeterias, hospital e até aeroporto (a Azul voa pra lá). De acordo com o Ministério do Turismo, o estado do Mato Grosso do Sul destaca-se como destino de Natureza referência em Turismo de Aventura e Ecoturismo no Brasil.

Se você pretende escolher Bonito como destino das suas próximas férias tenha em mente que:

  • todos os passeios devem ser previamente agendados. Isso se deve ao fato de que todos os atrativos possuem capacidade máxima de carga por dia.
  • todos os atrativos são pagos. Sem exceção.
  • todos os atrativos ficam em áreas afastadas do centro da cidade, exceto o Balneário Municipal que fica localizado há 6 km de distância. Portanto, você vai precisar de veículo próprio/transfer para chegar até os locais. As estradas de terra são bem conservadas e muito bem sinalizadas. Não há perigo dirigir sozinho.
  • faz calor o ano todo porém nos meses de inverno, a temperatura da água dos rios tende a cair, tornando um empecilho se você não tolera água fria. Lembrando que a grande maioria dos receptivos alugam roupas de neoprene (e também câmeras subaquáticas).
  • é um destino exclusivamente ecológico. Se você tem medo de bicho, não gosta de mato, mosquito, calor, aventura e banho de rio, Bonito não é para você.

A maioria dos hotéis/pousadas possuem agências de receptivo próprias. Assim no momento da reserva da hospedagem, eles já te ofertarão os passeios, que inclusive têm valor tabelado. O que irá diferenciar uma agência da outra será o atendimento e o serviço prestado.

Eu e minha família fomos pra lá, de carro, no último Natal. Ficamos hospedados na Pousada Carandá e compramos os passeios com eles mesmos. Não utilizamos o serviço de transfer. Com o mapa da cidade em mãos, fomos com nosso próprio veículo até os atrativos. Nos atrativos sempre tem um centro de visitantes com banheiros, guarda-volume  e uma pequena lanchonete. Na chegada você é recebido pelos guias, entrega o voucher e recebe as instruções de como irá funcionar o passeio.

Alguns passeios são rápidos, em torno de 2h, como é o caso da Gruta do Lago Azul e a Gruta de São Miguel. Outros passeios podem durar de 4-6h como a Flutuação do Rio da Prata. Estes passeios podem ser comprados com ou sem almoço. Um dos passeios que fiz terminou às 16h e o almoço estava quentinho e muito saboroso num fogão a lenha. Meu medo era de que às 16h os pratos estivessem frios ou, o que é pior, só tivessem sobras de comida.

Sobre os passeios que envolvem água: no valor do passeio está incluso roupa de neoprene se o uso durante a atividade for obrigatório. Caso contrário, o aluguel é por conta do turista. Se você tiver sapatilha de neoprene e snorkel+máscara, leve a sua pois os equipamentos lá não são descartáveis. Se você não tem uma câmera subaquática, ou você aluga uma nos atrativos ou ficará refém dos fotógrafos (e pagará uma fortuna em um CD com fotos muitas vezes mal tiradas). Ah, nem todos os atrativos possuem serviço de fotografia.

Dica #1: não compre hospedagem com meia pensão. Na cidade há muitas opções de gastronomia. De Subway a espetinho de carne de jacaré ou pintado. Aproveite para conhecer a Casa do João no almoço ou jantar, escrever nas paredes (assunto para um próximo post) do Taboa Restaurante-Bar.

Dica #2: alguns turistas aproveitam a proximidade com o Paraguai para fazer compras na cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã/MS, localizada há 246 km de Bonito. O Shopping China de PJC é o maior entre as filiais existentes em Ciudad Del Este e Salto Del Guairá.

Dica #3: use filtro solar (é sério!).

bonito

Fonte: Google Imagens

Anúncios