Turismo Pet Friendly

Quem tem cachorro sabe do planejamento que se deve ter quando resolvemos viajar. Além de planejar a viagem em si, com todos aqueles detalhes de hospedagem, alimentação, passeios e bagagem, há que verificar com quem seu pet irá ficar durante esse tempo, algum familiar ou clínica veterinária que tem serviço de hospedagem.

Porém é cada vez maior o número de famílias que possuem animais de estimação e que sempre (ou quase) gostariam de tê-los por perto durante o momento de lazer. Felizmente, a proibição da entrada de animais de estimação em restaurantes, padarias e hotéis/pousadas no Brasil está menos rígida. Alguns hotéis estão se tornando ‘pet friendly’, visando, não só atingir o público que faz questão de viajar acompanhado de seus pets, mas também lucro, que segundo pesquisas, ser receptível aos bichinhos aumentam em média até 10% do faturamento. Outra vantagem é a possibilidade de fidelização deste tipo de público.

Entretanto, há uma enorme diferença entre hotéis que “aceitam animais” e os que são “pet friendly”. Em 2012, através de uma empresa privada, foi criado o selo “Pet Friendly”, o primeiro selo do Brasil que certifica hotéis e pousadas que possuem serviços para animais de estimação. Para que o estabelecimento seja aprovado e receba a certificação, deve obedecer a uma série de pré-requisitos, que são checados por um avaliador in loco.

Atualmente 256 estabelecimentos no Brasil estão certificados com o selo Pet Friendly, a maioria deles são meios de hospedagem. Contudo eu creio que exista um número bem maior. Em Curitiba, por exemplo, a Caramelodrama Confeitaria, possui um deck externo, onde você pode tomar seu café enquanto seu pet fica solto em volta. Ele ainda recebe um mimo: uma tigela de água, com gelo se o dia estiver mais quente.

A permissão da entrada de animais de estimação nos estabelecimentos ainda gera controvérsias por parte daqueles que não gostam da presença deles no mesmo ambiente. Sendo assim, a imposição de algumas regras é essencial para o convívio de todos. Animais com coleira, guia e focinheira, que circulem apenas em locais externos ou somente no colo de seus donos, que sejam de pequeno porte, comportamento do animal, são algumas das determinações a serem estabelecidas para que não ofereçam risco aos demais.

Viagem com seu pet programada e você decidiu viajar de carro. Já sabe quais cuidados se deve ter? O transporte deles também exige medidas de segurança. O CBT (Cód Brasileiro de Trânsito) não obrigada o uso de equipamentos específicos, porém é recomendável a utilização de cintos de segurança (vendidos em pet shops) ou caixas de transporte próprias.

Segundo o CBT, “o artigo 235 da lei 9.503/97, define como infração grave o transporte de animais na parte externa do carro (caso de caminhonetes) ou com parte do corpo para fora da janela do veículo. O motorista flagrado em alguma dessas situações perde cinco pontos na carteira de habilitação e é multado em R$ 127,69. Dirigir com o animal acomodado no colo, à esquerda, ou entre os braços e pernas, é infração média, dá quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,13”.

Além disso, é necessário verificar se as vacinas estão em dia e se for possível, leva-lo a um médico veterinário de sua confiança para emitir um atestado zoosanitário, comprovando o estado de saúde do animal.

Confira a lista dos estabelecimentos Pet Friendly no Brasil no site www.turismo4patas.com.br.

Texto publicado originalmente na Revista D’Pontaponta, Edição 227, fevereiro 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s